KIKINHO – Necrose da Base da Cauda

18/11/2013
Kikinho-Internado-red.jpg

O Kikinho é um gatinho jovem que nos foi trazido após ter sido encontrado na rua, com uma ferida extensa na base da cauda. Apresentava hipertermia (39,6ºC), dor à manipulação da cauda e necrose extensa da base da mesma bem como dos tecidos moles envolventes. A ponta da cauda já não tinha sensibilidade e era perceptível que a pele estava a destacar-se do tecido subcutâneo subjacente.

Laceracao da cauda do Kikinho red

Laceração da cauda, sendo bem notória a destruição tecidular (falta de irrigação sanguínea, cor amarelada)

Ao Kikinho foi administrada fluidoterapia de suporte e medicação adequada para controlo da infecção e maneio da dor. Como o Kikinho comia com muito apetite, não foi necessário esperar mais tempo e no dia seguinte foi submetido a uma amputação integral da cauda. Optou-se pela amputação integral visto que não havia praticamente sensibilidade nenhuma e também pela extensão da ferida, cujo risco de infecção era grande.

Passados cerca de 3 dias da cirurgia os pontos começaram a abrir e ao fim de uma semana tivemos que voltar a operar novamente o Kikinho para fazer o encerramento cirúrgico da ferida. Neste momento havia uma preocupação acrescida que era a necessidade de retirar tecido morto dos bordos da ferida sem, contudo, afectar o esfíncter anal: o corte da cauda tivera que ser de tal forma rente, que quase não havia pele íntegra em volta do ânus. Nos 4 dias seguintes à segunda cirurgia ainda houve alguma deiscência da sutura, mas como não foi integral conseguimos que fechasse por segunda intenção, com o Kikinho a fazer uma vida sempre normal. Apenas tivemos que ter algum cuidado em manter a ferida o mais limpa possível pois era frequente fazer aderência das pedrinhas do areão.

Laceracao da cauda do Kikinho 2 red

Aspecto cirúrgico após a amputação. Note-se que a mesma teve que ser tão rente, que havia o risco de comprometer o controlo do esfíncter anal. O Kikinho ainda teve que ser submetido a uma segunda intervenção cirúrgica porque os pontos abriram e foi necessário voltar a encerrar a ferida. Felizmente, ficou tudo funcional e ele controla as suas fezes como qualquer outro gatinho.

Passados 15 dias, a ferida estava totalmente cicatrizada e o Kikinho foi adoptado. Esperemos que tenha pela frente uma vida muito longa e feliz e que possa esquecer este triste episódio dos seus primeiros meses de vida.

Joana BritoFoto Dra. Joana Brito (Médica Veterinária)


1 comentário

  • Nany Oliveira

    21/11/2013 at 22:35

    Muito obrigado à bola de pêlo que tratou o Kikinho com muito carinho !

    Responder

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos assinalados com * são obrigatórios


© Copyright 2008-2017 Bola de Pêlo, Lda (Todos os Conteúdos)

Powered by iFlexi OpenSite