Intoxicação por Herbicidas

17/10/2013
cao-a-comer-ervas-685x514.jpg

Não é raro depararmo-nos com avisos colocados em postes telefónicos ou de electricidade, alertando para o facto de ter sido feita a aplicação de herbicida nos jardins e canteiros públicos, recomendando especial cuidado com crianças e animais.

Embora os herbicidas sejam raramente responsáveis pela ocorrência de intoxicações em animais de estimação, uma vez que a concentração do mesmo nas ervas que eles ingerem é geralmente baixa, podem surgir sintomas gastrointestinais: náusea, vómito e diarreia. Efeitos mais acentuados resultam, normalmente, da ingestão directa do produto. A absorção através da pele também é possível.

Em caso de suspeita de ingestão de herbicidas (seja directa ou através da ingestão de ervas tratadas), caso se actue imediatamente, deve induzir-se o vómito oferecendo ao animal uma mistura de água e água oxigenada (numa proporção de 2 partes de água para 1 parte de água oxigenada) e observar o animal. No caso da ingestão se ter dado há mais tempo e já estarem instalados alguns sintomas, o seu animal deve ser observado pelo veterinário. Em casos graves, para além dos sinais gastrointestinais, podem surgir convulsões. O tratamento é sintomático e de suporte, uma vez que não existe nenhum antídoto específico para tratar estas intoxicações.

Um conselho Bola de Pêlo, amigos para sempre!

Joana Brito (Médica Veterinária)


6 comentários

  • ANA SAMPAIO

    02/12/2016 at 03:55

    A minha gata está com diarreia, há 15 dias. O veterinário fez esse diagnóstico e fiquei bastante preocupada achando o tratamento muito lento, uma vez que ainda não terminou. Um filhote está apresentando os mesmos sintomas, diarreia e vómitos raros. Há chance delas se recuperarem? E é assim mesmo, só se tratam os sintomas?

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      02/12/2016 at 22:14

      Cara Ana Sampaio,

      Não consigo responder à sua questão dos seus gatinhos se salvarem, uma vez que não observei os seus animais. Terá que confiar no exame feito pelo meu colega. Além disso, muitas vezes nós também não conseguimos afirmar com certeza quais os animais que se vão salvar. Nada é garantido. Na maioria das intoxicações o tratamento passa apenas pelo controlo dos sintomas, dado que não existem antídotos para o tóxico ingerido e também porque nem sempre o agente tóxico é conhecido.
      Desejo-lhe a maior sorte nas melhoras dos seus bichinhos.

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

  • José Mauro França Pontes

    02/07/2018 at 20:10

    Tenho 4 cachorros. A grama está com erva daninha. Sao mais ou menos 1500m2. Se pulverizar Glifosato na grama, será que prejudica os cachorros?

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      03/07/2018 at 20:16

      Caro José,

      Deverá consultar o rótulo do herbicida para ver se há alguma advertência relativa ao contacto do herbicida por parte de animais ou pessoas, e conseguir perceber qual o intervalo de segurança necessário. De qualquer forma, e por prudência, não deveria colocar os cachorros nesse espaço nos dias seguintes à aplicação do herbicida. Mesmo que não haja problemas mais graves (do género gastro-enterites), pode haver sempre algumas lesões do tipo alérgico, devido ao contacto da pele e do pêlo com o produto (eritema, pápulas, prurido, etc).

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

  • Maria Luiza

    04/11/2018 at 00:57

    Cara Dra. Joana,
    Minha gata está com uma alergia e achamos que seja devido ao contato com glifosato. Ela andou passeando num canteiro depois que a prefeitura passou roundup. O jardineiro da prefeitura nos disse que estão usando um roundup mais forte, granulado, e que este produto oferecia risco aos animais se ingerido o capim. Já levamos a alguns veterinários, mas não está resolvendo o problema. A gata não tem pulga e come ração, mudamos o tipo da ração e nada de melhorar. Ela também tomou injeções de antialérgico, mas também não apresentou melhora significativa. Ela apresenta queda de pelos na parte traseira, pernas trazeiras, barriga, algumas feridinhas e um pouco avermelhado na região da barriga e duas mamas e hoje notamos que a orelha dela estava bastante vermelha na parte de dentro. Observamos que hoje ela estava coçando a orelha. Observamos também que ela lambia e também coçava de vez em quando a região onde houve perda de pelos. Não sabemos como proceder, pois o último veterinário disse que poderia ser alergia de pulgas. Mas ela não tem pulgas. E o surgimento do problema coincidiu com a história do roundup no canteiro onde ela costuma passar. Grata por qualquer orientação que por ventura possa nos dar. Pensamos em dar um banho nela com sabão neutro, mas não sabemos se isso é uma boa ideia. Grata, Maria Luiza

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      05/11/2018 at 10:32

      Bom dia Luiza.

      De facto, nunca tive um caso de alergia por contacto com o Roundup. De qualquer forma, o mais importante é descontaminar. Assim sendo, o banho será sempre algo de importante para minimizar os efeitos cutâneos provocados pelo insecticida. Os banhos podem ser feitos com um champô hidratante, duas vezes por semana de modo a controlar o prurido, até obter o efeito esperado. Também pode ser interessante associar a administração de suplementos à base de Ácidos Gordos Essenciais para ajudarem na hidratação da pele e consequente redução do prurido. A toma de cortico-esteróides, caso não haja nenhuma contra-indicação, também pode ser aconselhável para reduzir tanto o prurido, como a inflamação/agressão da pele.

      Espero ajudar!

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos assinalados com * são obrigatórios


© Copyright 2008-2018 Bola de Pêlo, Lda (Todos os Conteúdos)

Powered by iFlexi OpenSite