Fofis – Luxação Coxo-femoral

30/05/2017
Fofis-imagem-de-destaque-1200x900.jpg

O Fofis, um cão de pequeno porte de raça cruzada, com 12 anos de idade, apresentou-se à consulta após uma queda da cama dos donos, que resultou na incapacidade de apoiar o membro posterior esquerdo. Como o Fofis apresentava desconforto à palpação do membro, foi sedado para podermos fazer o estudo radiológico do membro. Este evidenciou luxação anterior da cabeça do fémur esquerdo:

Nestes casos, podemos tentar a redução fechada da luxação; quer isto dizer que o membro é manipulado, com o animal sob anestesia geral, na tentativa de o colocar na posição correcta, sem recurso a cirurgia. No caso do Fofis, uma vez que já se encontrava sedado, esta manobra foi efectuada logo de seguida, e a luxação foi reduzida com sucesso e confirmada com nova radiografia:

Quando a redução destas luxações é bem sucedida, o membro afectado é depois imobilizado por meio de um penso que o mantém junto ao tronco, com a extremidade distal ligeiramente rodada para fora, obrigando o fémur a exercer mais pressão contra a cavidade acetabular em vez de se conseguir mover mais para fora. Desta forma impede-se o movimento de abdução. O animal fará o apoio em apenas três membros durante o período de recuperação. Os passeios devem ser controlados por meio de trela e o penso deve permanecer durante 4 a 7 dias. Mesmo após a remoção do penso de contenção e a confirmação de que a cabeça do fémur se mantém no sítio, os passeios devem continuar a ser limitados por mais duas semanas, de forma a prevenir recidivas.

A redução fechada deste tipo de luxações, embora seja a forma menos invasiva de resolver o problema, nem sempre é bem sucedida: a redução da luxação não é possível; a redução da luxação não é total; a luxação é possível mas com grande facilidade o membro volta a ficar luxado (por laxidão dos tecidos moles envolventes, por exemplo), o temperamento do animal não permite a imobilização do membro afectado comprometendo uma recuperação bem sucedida, etc. Assim sendo, estas situações deverão sempre ser bem discutidas com os donos dos animais de forma e optarmos sempre por aquilo que nos pareça melhor para o animal em questão.

No caos do Fofis, a redução foi bem sucedida e, embora ele não tenha mantido o membro imobilizado pelo tempo desejado, não houve recidiva da luxação e hoje encontra-se bem.

Joana Brito (Médica Veterinária)


Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos assinalados com * são obrigatórios


© Copyright 2008-2018 Bola de Pêlo, Lda (Todos os Conteúdos)

Powered by iFlexi OpenSite