As 4 complicações mais comuns causadas pelas pulgas e carraças

Qualquer dono de um cão ou gato procura ver-se livre dos tão indesejáveis inquilinos que são as pulgas e as carraças. Mas mais do que eliminá-los é importante reconhecer sinais de alerta para doenças que estes parasitas possam transmitir ao seu animal.

As 4 complicações mais comuns causadas pelas pulgas e carraças

25/05/2014
Dog-scratching-685x457.jpg

Qualquer dono de um cão ou gato procura ver-se livre dos tão indesejáveis inquilinos que são as pulgas e as carraças. Mas mais do que eliminá-los é importante reconhecer sinais de alerta para doenças que estes parasitas possam transmitir ao seu animal.

1. Dermatite Alérgica por Picada da Pulga (DAPP) 

Alguns animais são alérgicos à saliva das pulgas apresentando alguns sinais típicos desta condição: prurido intenso, falta de pêlo em zonas específicas (base da cauda, flancos e abdómen), feridas auto-infligidas e infecções secundárias. A DAPP pode ser confirmada quando cruzamos estes sinais com a presença de pulgas ou fezes das mesmas, e com uma melhoria significativa do animal ao fazer o controlo do parasita.

2. Ténias 

As pulgas são o principal vector da ténia mais comum: Dipylidium caninum. Esta infecta cães e gatos quando estes ingerem pulgas infectadas com larvas de ténia. Estas ténias raramente provocam sinais evidentes nos animais, mas têm um forte potencial zoonótico (podem infectar os humanos). Muito frequentemente, os proprietários de cães ou gatos parasitados com ténias verificam a saída de  pequenos segmentos destas pelo ânus dos animais, ou então vêem os mesmos segmentos, secos, agarrados ao pêlo dos animais ou caídos na cama, assemelhando-se a pequenas sementes. Assim, faz todo o sentido que um animal no qual se detecte a presença de pulgas, seja também desparasitado internamente.

3. Bartonelose em Gatos 

As pulgas dos gatos não são da mesma espécie das dos cães. Os gatos são reservatórios naturais de várias espécies de Bartonella, que as suas pulgas podem transmitir. Os gatos podem ser infectados por contacto com pulgas infectadas ou fezes das mesmas. A maioria dos gatos não apresentam sinais e a doença é subclínica, mas a Bartonella spp assume enorme importância pelo facto de estar muito associada à Doença da Arranhadela do Gato. Os gatos podem ter fezes de pulga nas unhas e infectam os humanos com Bartonella ao arranhá-los. Os sinais mais típicos são febres baixas, e gânglios linfáticos aumentados e dolorosos. Contudo, há pessoas que desenvolvem quadros mais graves, principalmente quando imunossuprimidas.

4. Febre da Carraça 

As carraças podem transmitir doenças através de parasitas, que comummente designamos por febre da carraça. Estas doenças podem afectar os cães e ocasionalmente os gatos. Manifestam-se por: febre, letargia, anorexia, dor e inflamação articular, aumento dos nódulos linfáticos, hemorragias e perda de peso. Os animais nem sempre apresentam todos estes sinais, tornando o diagnóstico nem sempre muito fácil. Também não é raro os sintomas surgirem bastante tempo após a remoção das carraças, pelo que é necessário estarmos atentos a este tipo de sinais por longos períodos (6 meses ou mais). Estas doenças são zoonoses, pelo que também nos podem afectar a nós, humanos.

Concluindo, é de extrema importância evitar que os nossos animais sejam infestados por este tipo de parasitas e, no caso de isso acontecer, eliminar estes parasitas o mais rapidamente possível bem como prevenir reinfestações. Existem no mercado inúmeras formas de o conseguir, seja sob a forma de sprays, coleiras, pipetas e agora, uma fórmula inovadora sob a forma de comprimidos extremamente palatáveis, de administração mensal que prometem revolucionar o controlo destes tão indesejáveis inquilinos (ver vídeo abaixo). Não fique com dúvidas; informe-se connosco!

Um conselho Bola de Pêlo, amigos para sempre!

Joana Brito (Médica Veterinária)

 

 


10 comentários

  • Avatar
    Fernando Homénio

    22/06/2018 at 18:13

    Olá, boa tarde.
    Podem por favor informar o nome dos comprimidos contra pulgas e carraças para uma cão com 35 kg. e que gosta imenso de se roçar nos pastos secos e por vezes aparece com uma carraça, o que me preocupa bastante pelas doenças invasoras que está sujeito?
    Obrigado.
    fernando

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      23/06/2018 at 11:32

      Bom dia Fernando.

      Existem dois tipos de comprimidos que funcionam bem contra pulgas e carraças: o Nexgard e o Bravecto. A diferença entre eles é que o primeiro tem duração de apenas um mês e segundo dura 3 meses. Deverá procurá-los em clínicas veterinárias.

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

      • Avatar
        Ana

        06/09/2019 at 23:42

        E se disser que a minha cadela está com febre da carraça mesmo tomando o bravecto! Devia queixar-me ao fabricante!

        Responder

        • Bola de Pêlo
          Bola de Pêlo

          16/09/2019 at 14:32

          Cara Ana,

          Não querendo fazer de advogada do diabo, não pode “culpar” o medicamento utilizado para justificar que a sua cadela tenha apanhado febre da carraça. Nenhum medicamento é eficaz a 100%; há sempre uma margem de falha, por pequena que seja, que permite que alguns animais, ainda assim, sejam infectados por pulgas ou carraças. Além disso, as doenças provocadas por hemoparasitas nem sempre resultam de contágios recentes: os hemoparasitas são organismos oportunistas que podem ficar em estado latente durante largos meses e, aproveitando situações em que há falhas de imunidade, então aproveitam para se manifestar É muito comum, por exemplo, observarmos febres da carraça em animais que foram diagnosticados com leishmaniose (e até ali, nunca se tinha desconfiado).

          Joana Brito
          Médica Veterinária

          Responder

  • Avatar
    Raissa Medeiros

    24/04/2019 at 00:40

    Boa tarde,
    Tenho uma cadelinha Pug de 2 anos e entretanto fui levá-la a passear ao parque e deparei mais tarde que tinha duas carraças no pêlo porque andava a coçar-se muito. Tirei rapidamente com cuidado e desinfectei com soro fisiológico, contudo agora no sítio onde houve a “picada” estão uns caroçinhos que são uma espécie de ferida. O que poderá ser e o que devo fazer ?

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      24/04/2019 at 11:36

      Bom dia Raissa.

      Esses “altinhos” que observa são granulomas de reacção à fixação da pulga. Podem acontecer apenas devido à picada ou porque, se ao retirarmos a carraça lá ficarem restos da armadura bucal. Esses granulomas não têm qualquer consequência e acabarão por desaparecer. No entanto, se lhe parecer que estão inflamados, poderá aplicar betadine para desinfectar e ajudar a pele a cicatrizar.

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

  • Avatar
    elsa soutilha

    30/04/2019 at 12:28

    Bom dia, tenho um cão com 12 anos que deixou de andar e não se segura. Já vimos se tem carraças e não vimos nenhuma. Que devo fazer?

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      03/05/2019 at 10:19

      Bom dia Elsa.

      Pode haver imensas outras causas para um quadro de paresia/paralisia. Deverá levar o seu cão ao veterinário para ser observado e sujeito a exames complementares de diagnóstico. Com essa idade, o mais provável será tratar-se de um problema osteo-articular, mas o animal tem mesmo que ser observado.

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

  • Avatar
    Cátia

    03/05/2019 at 18:53

    Boa tarde
    Tenho uma gata de 2 anos e meio e hoje vi que ela tinha uma carraça grande perto do pescoço…ao tentar remove-la, a “cabeça” ou “pinças” da carraça ficaram na pele da minha gata…tentei extrair com uma pinça mas sem sucesso. Tem a zona avermelhada e continua com as “pinças ” da carraça presas na pele. Coloquei álcool e betadine.
    O que devo fazer ?

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      06/05/2019 at 13:51

      Boa tarde Cátia.

      Deverá apenas desinfectar com betadine. A presença da armadura bucal da carraça poderá apenas fazer com que se forme um granuloma de reacção (um pequeno nódulo) mas não é nada de grave e muitas vezes o organismo acaba por conseguir “digerir” a lesão.

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos assinalados com * são obrigatórios


© Copyright 2008-2019 Bola de Pêlo, Lda (Todos os Conteúdos)

Powered by iFlexi OpenSite