Quando Começa a Vacinação do Meu Cachorro?

06/09/2011
puppy-vaccination-685x465.jpg

Existem variadíssimos esquemas de vacinação, dependendo da preferência do médico veterinário.

Contudo, regra geral, um cachorro pode ser vacinado a partir das seis semanas de idade. As vacinas consideradas essenciais para um cão são: 1. Parvovirose; 2. Esgana; 3. Leptospirose; 4. Hepatite; 5. Raiva.

Para iniciar a vacinação, começamos com uma vacina que engloba as primeiras quatro doenças, e fazemos o reforço três semanas depois. Até esta altura, deverá evitar trazer o cachorrinho à rua (a não ser que ande ao colo) e contactar com cães que não estejam vacinados.

O banho também não é aconselhável neste período. Uns dias depois de feito o reforço da primeira vacina já poderá iniciar os primeiros passeios e dar-lhe uma banhoca, com grande segurança.

A vacina da raiva, obrigatória em Portugal como forma de manter erradicada a doença, pode ser feita mais tarde, quando o animal tiver cerca de seis meses.

Podemos aproveitar esta altura para colocar também o microchip de identificação, que passou a ser obrigatório para todos os cães nascidos depois de 01 de Julho de 2008.

A partir daqui, o seu cão deverá ser vacinado todos os anos.

Pode ainda ponderar a administração das chamadas vacinas “opcionais” em função do tipo de vida que o seu cão vai ter: 6. Babesiose; 7. Doença de Lyme; 8. Tosse do Canil; 9. Leishmaniose.

A Babesiose e a Doença de Lyme são doenças provocadas por vectores transmitidos pelas carraças (chamadas vulgarmente de “Febre da Carraça”). Aconselha-se no caso de animais que se encontrem ou passeiem em zonas de muito mato.

A Tosse do Canil, embora sendo uma doença pouco grave e facilmente curável, é altamente contagiosa, pelo que deve ser considerada para cães que vivam juntamente com outros ou que frequentem canis e/ou exposições de cães.

A Leishmaniose é uma doença transmitida pelo mosquito flebótomo; é uma doença grave e não tem cura. Até há poucos anos não havia vacina para a mesma, mas hoje já é possível fazê-la, caso o deseje. Deverá considerá-la como um recurso importante especialmente se o seu cão dormir no exterior.

Peça-nos os esclarecimentos que entender necessários e, em conjunto, poderemos decidir o que será melhor para o seu cão.

Um conselho Bola de Pêlo, amigos para sempre!

Joana BritoFoto Dra. Joana Brito (Médica Veterinária)

Serviço de Vacinação na nossa Clínica


29 comentários

  • Vy

    18/07/2017 at 22:38

    Boa noite, o meu cão tem dois meses e só tem uma vacina.
    Eu levo-o à rua e dou banho. Ele corre algum tipo de risco ou algo do género?

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      20/07/2017 at 21:14

      Cara Elisa,

      Enquanto um cachorro não tem o plano vacinal inicial completo, as idas à rua podem ser um factor acrescido de riscos para a saúde deles. O meu conselho para os donos é que devem esperar sempre pelo reforço da primeira vacina para então começarem a levá-los à rua.

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

  • Vy

    18/07/2017 at 22:39

    Ele também está a perder muito pêlo. É normal??

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      20/07/2017 at 21:14

      A queda do pêlo pode estar relacionada com a época do ano, mas é algo que só pode ser apreciado em consulta, uma vez que há outras razões, nomeadamente parasitárias, para uma queda de pêlo mais acentuada.

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

  • An

    30/01/2018 at 14:33

    Deram-me a minha cadela com 5 meses e na altura disseram que ela já tinha chip e a vacina da raiva mas não me deram o bi e nunca mais vi o antigo dono. É possível ela levar a vacina e o chip de novo? Queria ter a certeza que ela ficava com a vacina e o chip.

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      01/02/2018 at 10:22

      Em relação ao microchip, há forma de vermos se ela o tem ou não. Caso tenha, só temos que confirmar se consta da base de dados ou não. Caso não tenha microchip, então colocamos um novo.

      No que diz respeito às vacinas, se não tiver nenhuma prova (boletim de vacinas) de que as vacinas foram feitas, podemos fazê-las mesmo que se trate de repetições (é o que acontece com cães encontrados na rua, cujo estado vacinal desconhecemos).

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

  • Ana Rita Miranda

    20/04/2018 at 22:07

    Boa noite, tenho um labrador com cerca de dois meses e meio na segunda feira levou a segunda vacina e explicado pela veterinária seria possível que aparecesse um alto, o que é facto é que hoje descobri uma bola bastante saliente no local onde lhe foi administrada a vacina, poderei fazer alguma coisa para diminuir o inchaço? Obrigada

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      22/04/2018 at 11:14

      Boa noite Ana Rita.

      Não necessita fazer nada. Essas tumefacções são auto-limitantes e não representam qualquer problema. Eventualmente, se lhe parecer que o seu cão está dorido no local pode aplicar gelo, mas não será necessário fazer mais nada.

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

  • Ana

    29/04/2018 at 18:48

    Olá, a minha cadela só começou o plano de vacinações às 10 semanas de vida. Levou logo a vacina V10 e entretanto já levou o reforço passadas 3 semanas. No entanto, ainda está marcado mais um reforço. É normal levar 3 doses da mesma vacina? Não tem raça definida. Obrigada.

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      30/04/2018 at 10:53

      Bom dia.

      Existem muitos protocolos de vacinação, e cada veterinário opta por aquele que lhe parece mais adequado. Hoje em dia até se defende que o plano de vacinação definido para cada animal, deve ser pensado de acordo como tipo de vida que esse animal vai ter e portanto, feito “à medida” ou totalmente personalizado.

      Nos planos de vacinação que instituo, também faço três doses de vacina, com intervalo de 3-4 semanas entre cada um, sempre que os animais iniciam a vacinação antes dos 3 meses de idade. Isto tem a ver com o facto dos anticorpos maternos poderem permanecer em circulação até depois dos 3 meses de idade, podendo por isso comprometer a resposta aos anticorpos vacinais.

      Espero ter esclarecido a sua questão.

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

  • Claudia Marques

    11/05/2018 at 11:29

    Bom dia,

    A nossa cadela Jack Russell tem 3 meses e amanhã vai ter a terceira sessão de vacinas.
    É seguro no fim de semana seguinte conviver com um cão da família com cerca de 12 anos, mas sem vacinas, à excepção da vacina da raiva?

    Obrigada.

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      14/05/2018 at 10:55

      Bom dia Cláudia.

      Sim, se a vossa cadelinha já fez a terceira dose de vacina, embora recente, na próxima semana ela já poderá contactar com outros animais, mesmo que não vacinados.

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

  • Gabriela Maia

    26/05/2018 at 15:57

    Boa tarde,

    Vou ter agora um cãozinho, ele faz hoje 2 meses, não tem nenhuma vacina. Que vacinas pode e deve levar? Pode conviver com Gatos? Posso dar-lhe banho antes de levar as vacinas?
    Se eu for à veterinária municipal ela dá-lhe as vacinas todas ou não?

    Obrigada.

    Gabriela Maia

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      28/05/2018 at 10:33

      Boa tarde Gabriela.

      O seu cachorro, com dois meses, já pode fazer a vacina tetravalente, contra as quatro principais doenças que podem afectar um cão: Esgana, Parvovirose, Hepatite e Leptospirose. Não deverá dar banho nem levar o seu cão à rua antes dele ter completado o esquema vacinal; contudo, ele poderá e deverá contactar com outros animais (incluíndo gatos), desde que devidamente vacinados e desparasitados.

      Nos canis municipais apenas é dada a vacina contra Raiva, pelo que deverá procurar um veterinário perto de si para fazer estas vacinas iniciais.

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

  • José

    15/06/2018 at 20:01

    Boa tarde. Tenho um cachorro Golden com 3 meses,
    já tem as seguintes vacinas:
    2x Eurican DAP
    1x Versican Plus DHPPi/L4.
    É seguro levar à rua passear ou devo esperar por a da raiva?
    Atentamente

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      16/06/2018 at 16:59

      Caro José,

      Pode levar o seu cão à rua à vontade. As vacinas mais importantes estão completas. A Raiva foi erradicada de Portugal há anos, pelo que a obrigatoriedade da vacina apenas serve para nos mantermos assim e não pelo perigo eminente de infecção.

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

  • Patrícia santos

    17/06/2018 at 22:22

    Boa noite, o meu cão está com diarreia e amanhã é o último dia para levar a vacina. Com diarreia não pode levar? Se ele não tomar amanhã temos de voltar a dar a primeira dose?

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      18/06/2018 at 15:58

      Cara Patrícia,

      Se pode fazer a vacina ou não, tudo depende da gravidade da diarreia; esse pergunta deverá colocá-la ao veterinário que for vacinar a sua cadela pois, só depois de avaliar o seu estado de saúde, e de perceber como é a diarreia é que o colega poderá decidir com mais segurança, se é seguro ou não vaciná-la.

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

  • Ana Correia

    07/07/2018 at 10:54

    Bom dia, tenho uma cadela já com um ano e levou todas as vacinas necessárias no seu tempo, mas tenho uma dúvida: há alguma vacina que tenha de levar reforço anual ou assim?
    obrigado

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      13/07/2018 at 10:01

      Cara Ana Correia,

      Nos cães e gatos, não existe nenhuma vacina cuja imunidade dure para a vida. Todas elas necessitam de reforços, uns anuais, outros não, que variam de acordo com a imunidade garantida pelo laboratório que as produz. Além disso, há determinadas vacinas que podem ser programadas para tempos diferentes, com maior ou menor intervalo de duração, tendo em conta o tipo de vida do animal em causa. Essa periodicidade é estabelecida pelo médico veterinário que assiste o animal, em concordância com o dono do mesmo.

      Deverá por isso tirar as suas dúvidas com o veterinário que estabeleceu o protocolo vacinal da sua cadela, para saber que vacinas é que ela deverá fazer nos tempos mais próximos.

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

  • Catarina

    19/07/2018 at 11:36

    Olá boa tarde Dra. Joana Brito.

    Gostaria de colocar uma questão. Tenho um american stafffordshire Terriers e levou na criadora a primeira dose de vacina ao qual já tenho o boletim de vacinação e ela indicou-me dar o reforço passado 15 dias e que depois poderia ir com o cão à rua. A minha questão é, será que depois de levar o reforço posso logo ir com ele à rua no dia a seguir à vacinação? Gostaria de saber a sua opinião..
    E visto que ele já levou a primeira dose na criadora posso dar-lhe o primeiro banho ? Cumprimentos, muito obrigada.

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      21/07/2018 at 11:31

      Cara Catarina,

      Sem o boletim de vacinas, é difícil responder acertadamente à sua questão, uma vez que não sei qual foi a primeira vacina que o seu cão fez, nem com que idade a fez. Além disso, quinze dias de intervalo entre cada vacina é pouco tempo para estabelecer uma boa imunização. A vacinação de um animal é um acto médico e deve ser efectuada apenas por médicos veterinários. Infelizmente, ainda há quem se sobreponha a essa função e administre vacinas sem estar habilitado para tal.

      Aconselho que leve o seu cão ao veterinário, munida do boletim de vacinas que lhe foi entregue de forma a confirmar bem essa situação. De qualquer forma, também posso adiantar já que, mesmo que as vacinas tenham sido bem administradas, e que ele só necessite de facto desse reforço de que lhe falaram, não deve levar o seu cão à rua, nem dar banho, logo no dia seguinte dado que ainda deverá passar cerca de uma semana para considerarmos que o animal se encontra protegido.

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

  • Claudia

    21/07/2018 at 19:05

    Olá, tenho uma cadelinha sem raça definida, tem 4 meses mas eu ainda não lhe pude dar as vacinas. Só lhe irei dar as vacinas no mês de Agosto. Há algum problema por ela ir levar as vacinas tão tarde ? Obrigada.

    Responder

  • Maria

    23/08/2018 at 15:39

    Olá, o meu cão levou a primeira vacina e a segunda está marcada para amanhã, na impossibilidade de ir a consulta há problema só ser daqui a 2 semanas, que é quando tenho tempo? Obrigada

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      24/08/2018 at 11:09

      Embora não seja grave desrespeitar a data da vacinação por um dia ou dois, uma janela de duas semanas já pode comprometer a resposta imunitária do seu cachorro a uma determinada vacina. Se não consegue fazer-lhe o reforço da vacina amanhã, tente arranjar disponibilidade para os próximos dias. Tudo o que for mais do que uma semana já pode inviabilizar a resposta a esta primeira dose, obrigando depois a fazer mais repetições do que aquelas inicialmente previstas.

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

  • Inês

    10/09/2018 at 12:33

    Bom dia ontem deram-me uma cadelinha com 3 meses (dizem os antigos donos) sem vacinas, sem nada e cheirava muito mal….
    Eu dei-lhe um banho com o gel de banho do meu bebé mustela… será que fiz mal?….
    Hoje vou levá-la às vacinas mas queria saber se posso ter feito mal em lhe dar o banho

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      13/09/2018 at 10:38

      Boa tarde.

      A desvantagem de dar banhos a um cachorro ou gatinho sem que tenham o esquema vacinal completo é estarmos a aumentar o risco de serem afectados por agentes bacterianos ou virais, baixar a imunidade e “abrirmos” a porta, por assim dizer, a outros agentes infecciosos mais perigosos (como os da Esgana ou da Parvovirose, por exemplo). Em princípio, se o tiver secado bem, e dado que nesta altura do ano está calor, não há-de haver problema.

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

  • Rafaela

    17/09/2018 at 01:16

    Boa noite, estou a pensar em adotar um cãozinho, que ainda não tem um mês de vida, será entregue a partir de uma associação. Os cãezinhos foram encontrados na rua, pelo que não se conhece o histórico deles. Qual o protocolo a partir do momento em que fique com ele? (Será para levar para o estrangeiro ) obrigado

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      17/09/2018 at 10:59

      Bom dia Rafaela.

      Um cachorro pode começar a ser vacinado a partir das 7 semanas de idade. A partir daí fará 3 doses de vacina com um mês de intervalo entre cada uma (vacinas contra: Esgana, Parvovirose, Hepatite e Leptospirose). Também será desparasitado mensalmente até aos seis meses e, a partir daí, de 3 em 3 meses. Por norma, fazemos a vacina da Raiva aos 4-5 meses. Existem ainda outras vacinas, consideradas opcionais, que vão depender do estilo de vida que o cão irá ter, pelo que são postas à consideração do dono, no momento da consulta.

      Deve ter em conta ainda, que existem vários protocolos vacinais disponíveis, todos eles correctos. Uma vez que o seu cachorro irá para o estrangeiro, esta informação que lhe estou a fornecer pode não ser exactamente assim, pois dependerá sempre da escolha do veterinário que irá seguir o seu cachorro.

      Joana Brito
      Médica Veterinária

      Responder

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos assinalados com * são obrigatórios


© Copyright 2008-2018 Bola de Pêlo, Lda (Todos os Conteúdos)

Powered by iFlexi OpenSite