Gatinha encontrada atropelada à beira da estrada

01/08/2014
Gatinha-atropelada-685x514.jpg

No dia 16 de Julho foi encontrada à beira de uma estrada uma gatinha com cerca de mês e meio. A pessoa que a recolheu contou que enquanto conduzia ouviu um miar agudo vindo do carro da frente e que depois a avistou na estrada. Ao chegar à clínica a gatinha encontrava-se taquipneica e dispneica, taquicárdica, com descoordenação motora, cegueira bilateral e incontinência urinária e fecal. Encontrava-se também muito suja por todo o pêlo e com uma laceração na orelha esquerda.

A abordagem inicial passou pela administração de oxigénio via máscara facial e exame de estado geral. As mucosas encontravam-se pálidas com o tempo de replecção capilar aumentado. A medição da temperatura corporal demonstrou uma hipertermia moderada pelo que se procedeu ao arrefecimento do animal por meio de uma toalha humedecida. Administrou-se butorfanol intramuscular na dose de 0,2 mg/kg para analgesia ligeira. Devido à sintomatologia respiratória apresentada optou-se pela realização de um raio-x torácico dorso-ventral que não demonstrou qualquer alteração alarmante. Cateterizou-se o animal e iniciou-se fluidoterapia com Lactato de Ringer. Devido à sintomatologia neurológica apresentada pela gatinha optou-se pela administração endovenosa de manitol na dose de 0,25g/kg durante 30 minutos e de furosemida na dose de 1mg/kg.

Passadas algumas horas a respiração melhorou e normalizou contudo a sintomatologia neurológica manteve-se.

Nessa mesma noite, administrou-se um bolus endovenoso de dexametasona na dose de 2mg/kg. Apenas 15 minutos depois, a gata recuperou a capacidade motora começando a andar e a urinar quando estimulada. Manteve-se a fluidoterapia endovenosa durante a noite.

No dia seguinte o animal encontrava-se estável mas ainda invisual. Administrou-se novamente o manitol e a furosemida nas mesmas doses terapêuticas e iniciou-se antibioterapia preventiva com amoxicilina e ácido clavulânico na dose de 22mg/kg bid. Experimentou-se também alimentação forçada com papa de convalescência da Royal Canin. Nesse dia manteve-se estável durante todo o dia e noite mas a cegueira bilateral manteve-se. Iniciou terapêutica com prednisolona na dose de 0,5mg/kg bid p.o.

No terceiro dia, a meio da manhã começou com convulsões parciais que eventualmente evoluiram para totais. Iniciou medicação com diazepam na dose de 0,5mg/kg. Também se queixava de dor abdominal pelo que se realizou um raio x abdominal onde se detectou a presença de muito gás no aparelho gastrointestinal. Por tal, iniciou metoclopramida na dose de 0,25mg/kg i.v. bid.  As restantes medicações já iniciadas foram mantidas.

No quarto dia já não demonstrou qualquer indício de convulsão. Começou a comer sozinha e a utilizar o areão.

Ao quinto dia recuperou a visão, não sabemos se a 100% mas faz neste momento vida de gatinho normal e é brincalhona como qualquer outro gatinho da sua idade. Como sequela perdeu apenas parte da orelha esquerda onde tinha a laceração.


6 comentários

  • Fatima Fernandes

    03/08/2014 at 15:34

    Dra Joana, Dra Marta e Dra Patricia, são três anjos que ajudam a sobreviver quem não sabe defender-se da maldade do ser humano. É impressionante a maneira como se tratam os animais, a nós deveria caber a obrigação de cuidar e tratar, de proteger aqueles que não nasceram com inteligência, consciência e capacidade para analisar seus atos, executar suas tarefas, planejar suas atividades e colocá-las em prática. Os animais também são seres inteligentes, é um ser que age de acordo com seu instinto, porém seus sentimentos são fortes e puros em relação ao homem.
    Os animais são na verdade seres organizados, dotados de um sentimento profundo e expressam essa forma de vida aos olhos dos homens que não entendem, nem compreendem e nem respeitam um ser que é tão lindo e natural, independente de sua espécie. Obrigado Dras pela ajuda que dão a quem tanto precisa, bjss

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      03/08/2014 at 15:59

      Muito obrigado, Dª Fátima! Tentamos sempre retribuir com a nossa ajuda a quem genuinamente se preocupa com eles.

      Responder

  • Marina

    13/08/2014 at 16:12

    Fiquei comovida a ler o texto e ver a gatinha que agora está recuperada, pareçe inacreditavel. Continuação de optimo trabalho!!

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      13/08/2014 at 17:10

      Muito obrigado, Marina! Está recuperada e já foi adoptada por uma família fantástica!

      Responder

  • Filipa Nascimento

    28/08/2014 at 13:52

    Boa tarde,

    Como se encontra esta gatinha ? Espero que já tenha sido adoptada! Bem haja pela vossa dedicação e preocupação.

    Responder

    • Bola de Pêlo
      Bola de Pêlo

      28/08/2014 at 14:11

      Olá Filipa, obrigado pela sua preocupação! Já foi adoptada, sim, poucos dias depois de termos divulgado o seu caso!

      Responder

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos assinalados com * são obrigatórios


© Copyright 2008-2017 Bola de Pêlo, Lda (Todos os Conteúdos)

Powered by iFlexi OpenSite