COELHOS – Conselhos Gerais

12/07/2014
Imagem-de-destaque-2-red-685x385.jpg

Os coelhos são o terceiro animal de estimação mais popular em Portugal principalmente em lares que carecem de espaço físico ou disponibilidade de horários para acomodar um cão ou um gato. Contudo, apesar do seu pequeno tamanho, um coelho (anão ou de tamanho regular) é um animal que exige um grande nível de cuidado e de atenção por parte dos donos que não deve ser descuidado de forma a prolongar ao máximo o tempo de vida do animal e respectiva saúde.

ALOJAMENTO

Os coelhos são animais extremamente sociáveis e gregários e, quando possível, devem ser sempre alojados com outros indivíduos da mesma espécie. No caso de não se poder facultar espaço suficiente para dois ou mais animais é preferível optar por ter só um, uma vez que falta de espaço pode levar a lutas territoriais. Idealmente manter sempre juntos animais esterilizados. As jaulas escolhidas devem ter espaço suficiente para:

-que o animal se possa por de pé sem que as orelhas toquem no topo da jaula

-exista uma zona própria para fazer de litter (zona de micção e defecação)

-exista uma zona de alimentação onde se possa colocar a ração seca, o feno e os alimentos frescos.

A exposição directa ao sol é desaconselhada tal como a escolha de uma zona para pôr a gaiola que esteja sujeita a correntes de ar. Os coelhos são animais que necessitam de exercício físico diário pelo que se aconselha que sejam soltos pelo menos uma vez por dia por um período não inferior a meia hora.

Coelho na Jaula red

ALIMENTAÇÃO

Uma boa alimentação é sinónimo de saúde pelo que é importante ter conhecimento de qual a ideal para garantir um bom funcionamento digestivo. A escolha de um bom feno (não palha) é um ponto fulcral já que os coelhos necessitam de uma grande quantidade de fibra na sua alimentação diária. Este deve estar sempre disponível para o animal uma vez que é o que mais se assemelha à sua alimentação na natureza. As dietas comerciais formuladas para coelhos também podem ser facultadas mas nunca em quantidades excessivas uma vez que são muito ricas em determinados nutrientes e minerais que podem vir a ser prejudiciais para a saúde do seu animal. Vegetais (salsa, brócolos, espinafres, cenouras, chicória, endívia) e frutas frescas como maçã, pêra, manga, papaia, entre outros podem também ser incluídos na dieta do animal mas nunca em modo diário, principalmente as frutas, já que são muito ricas em açúcares que podem causar perturbações gastrointestinais.

Coelho - feno red

ACOMPANHAMENTO VETERINÁRIO

É de extrema importância realizar check-ups anuais ou até semestrais ao seu coelho de estimação. Nestes será realizado um exame ao estado geral do animal nomeadamente a observação da cavidade oral para detecção de alterações na conformação dentária, um dos problemas mais frequentes nos coelhos de estimação.

Coelho - Exame

VACINAÇÕES

Os coelhos devem ser vacinados contra duas doenças infecciosas: a mixomatose e a doença hemorrágica viral (DHV). A mixomatose é uma doença viral transmitida por pulgas e mosquitos ou por contacto directo. Entre os sintomas apresentados pelos animais infectados encontramos o inchaço da cabeça, nódulos nas pálpebras e nas orelhas, conjuntivite (cegueira) e dificuldade respiratória. A taxa de sobrevivência é muito baixa. A vacinação pode ser feita a partir das 4 semanas de idade e consiste em duas vacinações intervaladas de 6 semanas (primovacinação) e depois revacinações semestrais ou anuais consoante o risco presente. A DHV também é uma doença viral que é transmitida por contacto directo, artrópodes, carnívoros domésticos e pelo Homem. É uma doença de evolução hiper-aguda a sub-aguda caracterizada por hemorragias nasais súbitas, apatia e prostração, com taxas de sobrevivência muito baixas, tal como sucede na mixomatose. O protocolo de vacinação inicia-se após as 8 semanas de vida com 2 vacinas intervaladas 4-6 semanas, com revacinações anuais futuras.

Coelho - Vacinas red

DESPARASITAÇÃO INTERNA E EXTERNA

Desparasitações internas

Os coelhos não necessitam de desparasitações internas sazonais tão frequentes como aquelas que se realizam com os cães e com os gatos. Poderão ser realizadas de 6 em 6 meses ou anualmente a par da vacinação. Não esquecer que, caso o seu animal apresente episódios de diarreia, é importante na visita ao veterinário trazer uma amostra de fezes para se poder realizar um exame coprológico de forma a averiguar se o seu animal está parasitado e por que parasitas e assim proceder à sua desparasitação de acordo com os parasitas encontrados.

Desparasitações externas

Os parasitas externos nos coelhos podem ser pulgas, carraças, piolhos e ácaros, tal como sucede nos cães e nos gatos. Alterações cutâneas como descamação (“caspa”), zonas de rarefação do pêlo, orelhas com lesões crostosas e coçar-se incessantemente podem ser sinais de parasitas externos pelo que o dono deverá estar atento ao comportamento normal do seu animal para poder detectar estas alterações e avisar o médico veterinário. Nunca utilizar desparasitantes spot- on (pipetas) no seu animal sem aconselhamento veterinário visto que nem todos os produtos disponíveis para cães e gatos podem ser usados em coelhos.

Um conselho Bola de Pêlo, amigos para sempre!


Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos assinalados com * são obrigatórios


© Copyright 2008-2017 Bola de Pêlo, Lda (Todos os Conteúdos)

Powered by iFlexi OpenSite